Lula diz que está em guerra com a Globo e manda aviso a Bonner

Lula diz que está em guerra com a Globo e manda aviso a Bonner

Mostre isso para seus amigos nas redes sociais

O ano de 2018 está chegando e se não for preso antes do fim deste ano, o já presidenciável Luiz Inácio Lula da Silva promete manter sua metralhadora verbal afiada e apontada para vários lados. É o que se pode prever a partir do tom do discurso  que o ex-presidente imprimiu nesta quinta-feira (01), durante a abertura do 6º Congresso Nacional do PT. Ele não esconde a irritação com o noticiário da TV Globo, especialmente do Jornal Nacional, em razão das denúncias da Operação Lava Jato que citam o seu nome.

Em suas palavras, Lula até mandou um recado para William Bonner, âncora do telejornal de maior audiência do País. Ele disse que “vai chegar um dia em que o Willian Bonner me peça desculpa”, para delírio dos militantes que compareceram no evento, que recebeu o título de “Marisa Letícia Lula da Silva”, em referência à esposa de Lula, falecida em fevereiro.

No mês de abril, o petista chegou a dizer que poderia, sim, voltar a disputar o País como candidato à presidência em 2018. Ainda no discurso, ele deu a entender que está travando uma guerra contra a Globo. Disse que eles (os responsáveis pela emissora, vão ter que “entender que estarão lidando com um cidadão diferente”. E ainda avisou que se eles “não sabem lidar com as mentiras que eles inventarem, eu não posso fazer nada”.

O ex-presidente não deixou de aproveitar o espaço para fazer duras críticas à cobertura jornalística do Jornal Nacional. Disse que não costuma ficar reclamando, mas que está em seu limite, pois “ninguém aguenta. quase 18 horas de Jornal Nacional tentando massacrar esse pobre coitadinho que veio de Garanhuns”. Garanhuns é a cidade pernambucana onde Lula nasceu e cresceu. Ele veio para São Paulo na juventude e logo começou a trabalhar na metalurgia da região do Grande ABC.

O ex-presidente ainda disse que vai centrar esforços para preparar o partido para voltar a governar o Brasil e também cobrou dos correligionários que adotem uma estratégia para eleger maioria  de parlamentares no Congresso. Segundo ele, esse passo é fundamental para que não seja preciso fazer aliança com outros partidos, dando a entender que a antiga aliança com o PMDB ajudou a cavar a ruína que hoje se encontra a política.

Tentando passar confiança à militância e aos caciques ainda falou que  2018 já começou e que é por isso que “eles” estão com medo. “Mas nós não estamos com medo”, concluiu, reforçando que a esquerda precisa mostrar que tem um programa factível para voltar a governar esse país.

Fonte: News365

Mostre isso para seus amigos nas redes sociais